Capitão América: Interpretações Sócio-antropológicas de um Super-Herói de HQs

Este ensaio visa analisar histórias em quadrinhos através de uma perspectiva histórico- cultural dentro da teoria antropológica hermenêutica, resgatando os símbolos e significações que alicerçaram a gênese dos super-heróis e sua trajetória por essa mídia de origem popular: as histórias em quadrinhos. Através do mundo fantástico  do Capitão América, o  ensaio realiza alguns apontamentos das resignificações presentes nessa personagem, dentro de dois universos:  macrossociológico e político, e microssociológico e cotidiano. Partindo desses pressupostos, esse  trabalho se propõe apontar, a partir do método indiciário, as idéias difundidas nos contextos culturais  e sociais da década de quarenta (quando o Capitão América surge), no seu renascimento na década  de setenta; e na contemporaneidade, após o 11 de setembro e no evento Guerra Civil, lançado pela Marvel nos Estados Unidos em 2006. Dessa forma, pretendo tecer uma teia de inter-relações entre axiologias e símbolos sociais presentes, considerando o contexto histórico e as suas especificidades
culturais e sociais, para, através dos quadrinhos, realizar uma análise de alguns aspectos da sociedade ocidental contemporânea. O propósito final do ensaio é, portanto, fazer avançar o debate sobre a sociologia dos quadrinhos, apresentando contribuições para novas perspectivas.

 

Link para PDF completo.

 
Você está aqui: Home Artigos Acadêmicos Capitão América: Interpretações Sócio-antropológicas de um Super-Herói de HQs